Blockchain: Mais que uma tecnologia das criptos

Você pode até possuir uma certa resistência ao Bitcoin, mas não poderá negar que ele está deixando um importante legado que mudará definitivamente as nossas vidas. Estou falando da tecnologia Blockchain, “corrente de blocos” em português.

A Blockchain é vista como a principal inovação tecnológica do Bitcoin visto que é a prova de todas as transações da história da rede.

 Consiste em uma cadeia de blocos onde cada um contém um arquivo e um hash, garantindo a inviolabilidade  das informações desse bloco de dados.

Dessa forma, a Blockchain é uma rede transparente e descentralizada, somada com a capacidade de prover informação irrefutável e irreversível.

Parece complicado? Continue por aqui, a gente descomplica!

Entenda como funciona a Blockchain

Imagine que a Blockchain é um trem cujos trilhos   percorrem o mundo inteiro. No caso, eles representam a computação em nuvem.

Nesse trem, cada vagão corresponde a um bloco, carregando suas informações junto com parte das informações do vagão vizinho.

Mais e mais vagões vão se juntando, mas antes os seus conteúdos (informações) são selados com um código complexo de letras e números (hash).

Esse hash é uma função matemática que pega uma mensagem ou arquivo e gera um código com letras e números que representa os dados enviados (que podem ser mensagens ou arquivos).

O trabalho de calcular o “hash” certo de cada bloco para formar a ligação entre eles compete aos mineradores.

Tudo que acontece nesse trem (cadeia de blocos) fica registrado num livro-razão, o ledger: uma espécie de documento onde todas as transações são gravadas. Essas informações não podem ser apagadas e qualquer pessoa pode acessá-las.

Blockchain na prática

Suponha que você quer enviar um ativo digital (uma criptomoeda, um contrato ou um arquivo digital) para alguém. O ativo é representado online como um bloco onde as informações estão armazenadas. A rede o distribui e cada máquina fica com uma cópia da transação em tempo real.

Em poucos minutos a rede verifica se o ativo é válido.  Depois de aprovado, o bloco é adicionado à corrente de blocos, ganhando um registro definitivo na rede. Dessa forma, fica inalterado.

Ao final desse processo, a propriedade do ativo deixa de ser sua, agora fica registrada na rede como posse do novo detentor.

E se alguém tentar invadir o sistema?

Numa tentativa de invasão ao sistema, ele automaticamente trava em fração de segundos.

Portanto, caso você tenha tomado conhecimento do roubo de Bitcoins, trata-se de crime relativo ao equipamento do usuário ou a corretora contratada pelo internauta,  não uma violação na Blockchain.

Aplicações da Blockchain

A Blockchain não é de uso exclusivo do mundo das criptos, mas uma inovação que tem outras aplicações, para além das transações financeiras. Vejamos quais são elas.

Gerenciamento de propriedade

A tecnologia permite inclusive que a escritura de um imóvel,  por exemplo, esteja codificada na rede, dispensando o serviço dos cartórios!

São contratos inteligentes,  informações codificadas de um acordo entre duas partes, em que as identidades são preservadas através do uso de endereços.

Confirmação de identidade/documentos

O reconhecimento de firma e a autenticação de documentos tal como se faz hoje tornam-se obsoletos com o advento da Blockchain. Isso também impede a falsificação de documentos. A vida dos estelionatários vai ficar mais difícil!

Validação de votos

Outra aplicação seria nos processos eleitorais, evitando fraudes, aumentando a privacidade e a liberdade do eleitor.

Nesta implementação, os votos seriam transmitidos no mesmo instante em que são realizados, e após inclusão na Blockchain não haveria chance alguma de modificação.

Caso utilize-se a própria cédula do eleitor com sua chave privada, o eleitor descobriria após tentar realizar o voto e constatar que já foi feito.

Isso também acaba com a necessidade de comparecimento a uma zona eleitoral. Haveria softwares de voto funcionando em celulares e computadores pessoais, cada eleitor sendo responsável exclusivamente por seu voto. Como elenão terá a chave privada nem a cédula do outro, não seria possível manipular os votos de outra pessoa.

O TSE tem realizado testes e estuda a possibilidade de adotar o  novo sistema digital de votação, com a tecnologia Blockchain, usando dispositivos eletrônicos.

Vantagens da Blockchain

A descentralização é a primeira das vantagens. Como os dados da Blockchain costumam ser armazenados em milhares de dispositivos numa rede, o sistema e esses dados são altamente resistentes à falhas técnicas e ataques maliciosos.

Outra vantagem é a falta de um intermediário no processo. Um sistema Blockchain elimina o risco de confiar em uma única organização, reduz os custos gerais e as taxas, cortando intermediários e terceiros.

Desvantagens da Blockchain

A natureza descentralizada da Blockchain também traz algumas desvantagens. Por exemplo, quando comparados a bancos de dados centralizados tradicionais, as Blockchains apresentam eficiência limitada e exigem maior capacidade de armazenamento.

Outro ponto que levanta questionamentos é o armazenamento. Os livros das Blockchains podem crescer muito ao longo do tempo. A Blockchain do Bitcoin atualmente requer cerca de 200 GB de armazenamento. A velocidade no crescimento das Blockchains parece estar superando a capacidade dos discos rígidos (HDs).

A chaves Privadas são vistas com ressalvas também.

A Blockchain usa criptografia de chave pública (ou assimétrica) para dar aos usuários a propriedade sobre suas criptomoedas (ou quaisquer outros dados). Cada conta na Blockchain tem duas chaves correspondentes: uma pública (que pode ser compartilhada) e uma chave privada (que deve ser mantida em segredo).

Os usuários precisam da chave privada para acessar seus fundos, significando que eles agem como seu próprio banco. Se um usuário perder sua chave privada, perde os fundos e não há nada que ele possa fazer para recuperá-los.

Perspectivas futuras para a Blockchain

O potencial revolucionário da tecnologia  Blockchain é comparável, para muitos, ao que foi a Internet na segunda metade da década de 90.

É uma tecnologia que mudará o estilo de vida da maioria da população mundial nos próximos 10 anos. Algumas previsões apontam para 10% do PIB mundial sendo transacionado com o suporte da Blockchain.

Nos próximos anos observaremos a utilização de dois tipos de redes de blockchain: públicas e privadas. Empresas adotarão redes privadas abrangendo subsidiárias, filiais, parceiros de negócios e clientes.

O mesmo deverá ocorrer com a administração pública, que construirá redes de Blockchain integrando contribuintes, órgãos de diferentes instâncias e atribuições, fornecedores.

O que Satoshi Nakamoto apresentou ao mundo em 2008 foi muito além de uma tecnologia que suportaria uma criptomoeda.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post

Criptomoedas E CBDC: Quais suas diferenças?

Next Post

Como funciona a carteira de Criptomoedas?

Related Posts