Exchanges de criptoativos: um miniguia para iniciantes

Você que se interessa por criptoativos e já leu outros artigos sobre o assunto por aqui já deve ter ouvido falar das exchanges de criptos, certo? Se ainda não sabe do que se trata, fique com a gente e conheça essas instituições financeiras especializadas em criptoativos.

 Ao final do texto você será capaz de reconhecer os tipos de exchanges. Vai aprender também quais critérios levar em conta para escolher a melhor instituição pra você, e o que fazer para ter mais segurança. 

O que são exchanges e para que servem 

Você conhece  a Bolsa de Valores do mercado tradicional? Pois bem, a exchange tem a mesma função, só que voltada exclusivamente para o mercado de criptoativos. 

Uma exchange é uma corretora de criptoativos que funciona como uma plataforma digital de  venda e compra de moedas digitais e tokens, os quais o investidor pode adquirir com moedas fiat (como o Dólar e o Real), via cartões de créditos e débitos, depósitos e transferências.

 Elas conectam vendedores e compradores deixando a transação mais segura e mais prática para os envolvidos. 

A primeira exchange de criptomoedas nasceu em março de 2010. Era uma plataforma chamada Bitcoinmarket.com. O site foi proposto no fórum Bitcointalk, onde quase todas as ideias iniciais do criptomercado surgiram. 

Essa corretora foi extinta, mas sites especializados em transações comerciais de criptos e tokens se multiplicam dia após dia em todo o mundo. 

Com a mesma rapidez que uma exchange surge ela pode desaparecer, e, com ela, vai o seu dinheiro. Por isso é muito importante saber escolher a mais adequada para operar e guardar seus criptos, uma vez que esse é um terreno fértil para golpistas e suscetível a imprevistos.  

Exchange centralizada ou DEX: qual a melhor?

Existem dois tipos de corretoras: as centralizadas,ou tradicionais, e as descentralizadas (DEX), um pouco mais recentes. Vejamos quais as características de cada uma. 

Até 2018, 99% do volume mundial de criptomoedas era negociado em exchanges centralizadas. Suas características são as seguintes:

  • Responsabilizam-se inteiramente pelos seus criptoativos.
  • Você não precisa ter uma chave privada.
  • Um servidor armazena os seus criptos.
  • Elas aceitam moeda fiat.
  • Na maior parte delas tem como identificar os proprietários.
  • Em caso de problemas você tem a quem recorrer, até mesmo na justiça. 

Nos anos de 2020 e 2021 houve um aumento recorde na adesão às corretoras descentralizadas. 

  Não existe um modelo único de organização nas DEX. Basicamente, ao invés de você guardar os seus Bitcoins em um servidor que funciona como um cofre, elas usam as redes dos próprios usuários, as wallets dos usuários. Vejamos suas características:

  • Transações são mais anônimas.
  • Corretoras DEx não podem ser fechadas.
  • não é possível converter sua moeda em criptoativos.
  • o cliente controla seus fundos, com melhor privacidade e maior inclusão financeira.

Corretoras descentralizadas são o destino mais procurado por quem busca mercados realmente acessíveis, em que qualquer um pode competir de forma justa, independente de capital inicial ou opinião. 

As principais corretoras descentralizadas são:

  1. Uniswap
  2.  SushiSwap
  3.  Curve 
  4. 0x 

Elas totalizam mais de 90% de todo o volume negociado em DEXs. 

Tais DEXs, desenvolvidas na Ethereum, fornecem aos investidores um sistema de negociação transparente e baseado em blockchain, com menos exigências de identificação (KYC), mas com precificação bem mais estável, melhor experiência e interface para usuários (UX/UI).

Exchanges mais bem-conceituadas

O site coinmarketcap.com classifica as exchanges com  base no tráfego, liquidez, volume de trading e confiança na legitimidade do volume de trading reportado. Lá você encontra um ranking com as maiores e melhores corretoras segundo os critérios mencionados.  Mas a gente já adianta aqui pra você  quais são as cinco melhores no ano de 2021:

  1. NovaDAX
  2. Binance
  3. BitcoinTrade
  4. MercadoBitcoin
  5. Foxbit

7 passos para  você escolher sua exchange

Antes de você decidir adquirir ou negociar criptoativos, pesquise as taxas, os detalhes e as oportunidades relacionadas a cada corretora. A melhor estratégia é a mais bem fundamentada.

Elencamos a seguir o que você deve fazer a fim de encontrar uma exchange para chamar de sua. 

  1. Confirme a existência da empresa,fazendo a busca  pelo CNPJ, verificando a página “quem somos” do site, até no linkedin
  2. Verifique a liquidez e o volume. Analise a posição que a corretora ocupa nos rankings e saiba se ela tem condições de devolver prontamente os seus ativos quanto você precisar. 
  3. Cuidado com as promessas de rendimento! A volatilidade das criptomoedas nos impede de prever sua  valorização ou desvalorização..
  4. Prazos de transações: pesquise sobre os prazos para depósitos e saques em reais e criptomoedas.
  5. Segurança: verifique se a exchange possui proteção contra invasões, além de Autenticação de 2 Fatores (2FA) e Validação de conta que garantem ainda mais segurança para a suas negociações.
  6. Prova social é muito importante! Verifique opiniões de outros usuários, sites como o “reclame aqui” também podem ser úteis. 
  7. Por último, não caia no golpe da pirâmide (É Cilada,Bino!): desconfie se te pedirem dinheiro em troca de uma promessa de ganhos mediante a condição de convidar outras pessoas para o projeto.  Enquanto novas pessoas estão entrando e colocando dinheiro, a promessa da empresa é cumprida, afinal o fluxo de caixa está favorável. Em um dado momento o processo fica insustentável. Utiliza-seo pagamento dos novos usuários na entrada  para pagar os mais antigos, mas em algum momento a entrada de novos não é suficiente para isso.

Depois de seguir esses passos e escolher a exchange para fazer suas negociações, se cadastrar, enviar alguns documentos e confirmar sua identidade, você finalmente poderá começar a organizar seus investimentos em criptomoedas.

Entrei na exchange, e agora?

Há duas formas de você negociar criptomoedas na exchange: 

  1. negociando a mercado (compra ou venda direta
  2. com as ordens limitadas – tal como acontece no mercado de ações.

Na compra ou venda direta, você deposita o dinheiro na conta da exchange, que irá liberar o valor diretamente no saldo de sua conta pessoal na plataforma. Aí então você poderá ver os valores de compra e venda das criptomoedas oferecidas: bitcoin (BTC), bitcoin cash (BCH), litecoin (LTC), ether (ETH), entre outras.

Por último é só escolher a quantidade desejada do criptoativo selecionado e confirmar sua transação, seja pelo aplicativo móvel, quando houver, ou pelo computador.

O esquema de operação com ordens limitadas oferece duas frentes de atuação:

  1. Você  coloca uma ordem de compra de BTC a um preço mais baixo do que o atual, esperando a cotação atingir o valor de sua ordem e, com isso, executa sua operação de compra.
  2. Você abre uma ordem de venda a um preço mais alto que o atual, para que seja executada quando a cotação subir.

Se você colocar uma ordem de compra com preço acima do preço atual, ou uma ordem de venda com preço abaixo do preço atual, sua ordem será executada automaticamente pelo preço dos melhores vendedores ou compradores, respectivamente.  Eles serão então contraparte da sua transação, levando sempre em conta a quantidade do ativo que você irá comprar ou vender.

Concluindo: as exchanges valem a pena?

Exchanges podem  ser hackeadas? Sim!  Fraudadas? Também.  Podem falir e deixar seus clientes na mão? Infelizmente podem. 

A verdade é que o Bitcoin “nasceu” para ser negociado no modelo P2P, sem intermediários.  No P2P o investidor adquire sua própria wallet e apenas ele pode acessá-las, utilizando suas senhas e chaves privadas.

Mas nem todo mundo está preparado para esse tipo de transação, que exige uma expertise razoável, e também não está isenta de riscos. Foi aí que as exchanges começaram a entrar em cena, ganhando um espaço considerável nesse mercado. 

 Numa exchange, a empresa tem acesso aos fundos dos seus clientes. Por isso é fundamental fazer uma escolha bem criteriosa. 

Esperamos ter ajudado com as dicas e informações deste artigo.  Se elas fizeram sentido pra você, compartilhe e ajude outras pessoas a escolherem uma boa exchange para operar com criptos!

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post

Litecoin (ltc), o que é? ENTENDA sobre essa altcoin.

Related Posts