Bitcoin, energias renováveis, mineração.

Bitcoin e o consumo de energia em sua mineração

Hoje, abordaremos acerca do Bitcoin no que diz respeito ao consumo de energia, se existe possibilidade de prejudicar ou não a humanidade e o planeta futuramente, como dizem muitas matérias sobre este assunto.

Nosso propósito é esclarecer algumas dúvidas sobre o consumo de energia e frisar que há fontes e origens diferentes de energia, e exatamente por isso muitos têm a dúvida : será que é prejudicial ou não?

Bem vindo de volta, caro leitor! É sempre bom tê-lo por aqui. E você que é novo no universo cripto, bem vindo também. Aqui você vai encontrar assuntos diferenciados e que tem por objetivo descomplicar o que parece complicado. Vamos lá?

É verdade que o Bitcoin faz um consumo elevado de energia?

Sim, pelo menos é o que diz alguns dados da Universidade de Cambridge. Segundo eles, a rede pode consumir por volta de 16 GW.

Parece pouca energia, mas o número citado é mais ou menos o consumo enérgico da Argentina ou mesmo do estado de São Paulo. Ou seja, é bastante energia.

Por isso, mesmo que o nível de energia seja bastante elevado, não deixa de ser uma opção de substituição dos bancos tradicionais.

Segundo gráficos e pesquisas, é possível afirmar que consumo de energia dos bancos é o dobro de energia consumida pela mineração de criptomoedas.

Sendo assim, acaba se tornando mais uma vantagem dentro da rede cripto.

Tirando como base, 16 GW de energia consumida por uma Bitcoin, já parece um consumo gigantesco, imagine a rede de um banco tradicional que gasta mais do que o dobro.

Energia gasta pelo Bitcoin : vantagem ou ameaça?

De uns tempos para cá, surgiram algumas matérias que diziam que o consumo elevado de energia durante a mineração do Bitcoin poderia ser prejudicial ao planeta e ao meio ambiente.

Porém, esquecem de levar em consideração que, quanto mais o mundo evoluí, mais energia se consome.

Contudo, o consumo de energia em si da mineração do Bitcoin não pode ser prejudicial, mas, é preciso saber a origem da fonte de energia e se é fonte renovável ou não.

O que é necessário saber e o que de fato importa dentro da mineração do Bitcoin, é que a rede costuma consumir energia barata.

Como saber se a rede está desperdiçando energia?

Somente os mineradores podem saber, pois são eles que estão no controle da rede fazendo a mineração do Bitcoin.

O primeiro sinal de desperdício de energia, é o prejuízo. Quando a mineração começa a gerar prejuízos aos mineradores, tem como consequência o desperdício de energia.

Sendo assim, é um grande prejuízo. Então, para evitar mais desperdícios, o ideal é que as máquinas sejam desligadas até que volte a estabilidade da rede.

Por isso, ainda que exista apontamentos e estudos de supostos desperdícios de energia na mineração de Bitcoin, não há uma conclusão real sobre o assunto, pois somente quem está minerando pode saber se há ou não tal desperdício.

Mineração Bitcoin x bancos centrais : Qual deles consome mais energia?

Enquanto um estudo realizado pela CoinShares Research mostrou que mais de 70% da energia que a rede Bitcoin utiliza provém de energias renováveis, dados da Galaxy Digital afirmam que o consumo de energia em bancos tradicionais é mais do que o dobro.


Fonte da imagem: Exame. 2021

Coisas que deveriam ser levadas em consideração, quando falamos de gasto de energia do bancos tradicionais:

✓ Consumo de energia anual do banco;

✓ Infraestrutura do sistema bancário.

Porém, na prática é mais cômodo criticar de forma superficial uma rede que traz ameaça ao tradicionalismo.

É importante ressaltar: a rede Bitcoin NÃO DEVE SER COMPARADA a qualquer outro sistema tradicional bancário, como Nubank, PayPal etc.

Por que?

Porque a intenção da rede Bitcoin não é ser uma plataforma de pagamentos e não pode processar milhares de transações, coisa que acontece no sistema tradicional.

O principal objetivo da rede é garantir que o blockchain permaneça imutável e que traga sempre segurança, pois o sistema atualiza a todo instante e isso evita que o blockchain seja adulterado.

Como já falado em outro artigo, o sistema Bitcoin é totalmente transparente.

inDÚSTRIA do ouro x mineração do Bitcoin

Ainda com base no gráfico colocado acima, é possível notar que, assim como o banco tradicional consome o dobro de energia, a indústria do ouro vai no mesmo caminho.

Segundo o que o estudo da Galaxy Digital encontrou, o setor usa aproximadamente 240,61 TWh anualmente.

“Essas estimativas podem excluir as principais fontes de uso de energia e emissões, que são efeitos secundários da indústria do ouro, como a eletricidade e a poluição relacionadas aos pneus e outros materiais e ferramente usados ​​nas minas de ouro” , diz o relatório “Ouro e mudanças climáticas: impactos atuais e futuros”. ( Informações do Tecnoblog / Cointelegraph ).

pos e a mineração Bitcoin

O Proof of Stake ( POS ) atua dentro da mineração de Bitcoin como uma espécie de “Mineração Verde” , mais especificamente como economia de gastos.

O nome alternativo é Mineração Verde porque os gastos são menores, e a energia é necessária para manter em atividade alguns computadores que não puxam um nível tão elevado de energia.

Para concluir, podemos analisar e ter em mente que , mesmo com o alto consumo de energia dentro da mineração do Bitcoin, ainda é a mais vantajosa opção para muitas pessoas, visando o mercado financeiro futuro.

Comparando com o consumo dos bancos tradicionais e indústria de ouro, o Bitcoin pode utilizar de uma energia renovável e barata para sua mineração.

O que achou desse artigo completo que leu hoje? Comente abaixo qual parte lhe chamou mais atenção.

Compartilhe esse artigo com aquele amigo que, assim como nós, ama este universo das criptomoedas.

Até a próxima, caro leitor!

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post

Guia básico do P2P

Next Post
teoria dos jogos, bitcoin, critpomoedas, blockchain

Teoria dos Jogos e a criptomoeda bitcoin