fork do bitcoin – O que é? Como funciona?

Já ouviu falar do Fork dentro do Bitcoin? Esse é o assunto do artigo de hoje.

É importante frisar que o fork é uma grande agitação dentro do mundo cripto, o que causa bastante suposições sobre o mercado. Parece um processo um tanto quanto complicado, mas não é e você poderá ver como funciona através desse artigo.

Além disso, entnderá os dois processos do fork.

Bem vindo de volta, caro leitor. Bom tê-lo por aqui novamente. Vamos entender o processo do fork dentro do Bitcoin.

fork, o que é ?

Prosseguindo para o assunto de forma direta, o fork ( bifurcação ou garfo ) é a atualização constante que as criptomoedas sofrem.

Para quem não sabe, as criptomoedas são formadas por códigos e regras, e assim formam um sistema.

O objetivo do fork é basicamente melhorar os códigos dentro das criptos, lembrando que toda e qualquer moeda virtual pode sofrer um fork.

Dentro do Bitcoin, alguns forks ganharam vida, Bitcoin Cash é um exemplo á se mencionar.

duas classificações do fork do bitcoin

soft fork

Soft Forks são as atualizações quase imperceptíveis dentro das criptos. Conhecida como atualizações mais simplificadas, que tem como objetivo trabalhar na correção de falhas pequenas, sem que haja maior comprometimento das criptomoedas.

Nesse caso, os participantes da rede não tem obrigação de atualizar o software para que dêem continuidade nas participações de validações e análises de transações, pois a atualização permanece compatível com versões anteriores.

Porém, para que esta atualização aconteça, é necessário uma alta porcentagem de aprovação da rede de mineradores, sendo no mínimo 95%.

Exemplo de Soft Fork: É cololcar um campo de informação nas transações com a cotação de tal moeda. Em todo esse processo, não fará diferença se o usuário tiver com o software antigo, pois as transações serão aceitas naturalmente. É assim que funciona o Soft Fork.

hard fork

O Hardo Fork é a atualização mais complexa do sistema, onde não é compatível com as versões anteriores. Sendo assim, aqueles usuários que não atualizarem seus softwares, serão impossibilitados de processar transações e não poderão enviar novos blocos para a tecnologia blockchain.

Essa classificação é usada para trazer melhorias á um protocolo que já existe, ou podem criar um protocolo totalmente do zero.

O Hard Fork pode ser consensual, onde funciona como espécie de planejamento, onde todos os participantes atualizam seus softwares de forma voluntária, a fim de seguir as regras. E também pode ser controverso, quando há discordâncias e divisões dentro da rede, que pode acarretar na criação de novas cripomoedas.

Principal exemplo de Hard Fork Controverso é a Bitcoin Cash.

mais exemplos de hard fork do bitcoin

  • BITCOIN CASH ( BCH ) – Hard Fork da rede original, o Bitcoin, aconteceu em 2017, em Agosto. As razões para acontecer tal divergência foi a taxa elevada da moeda original e o tempo maior de processamento. Então, o Bitcoin Cash foi criado exatamente com o objetivo de solucionar esse problema.
  • GOLD ( BCG ) – Também um Hard Fork do Bitcoin que sucedeu em 2018. O maior fator que ocasionou essa divisão foi a centralização do Bitcoin dentro das mineradoras, o que é totalmente o oposto do princípio de toda e qualquer criptomoeda. Além do mais, os desenvolvedores trouxeram o anonimato completo, além da redução do tempo de transação.
  • QUANTUM – A principal funcionalidade dela é facilitar a operacionalidade entre Bitcoin e Ethereum, pois pode ser vista como a junção da tecnologia Bitcoin somado ás funcionalidades técnicas do Ethereum, o que garante a troca de dados transparente entre ambos e outos sistemas da cripto.

por que é tão necessário o fork dentro do bitcoin?

Porque a atualização agrega melhorias no sistema. Atualizações são necessárias para fortalecer a rede.

É correto mencionar que, mesmo que haja divergências algumas vezes principalmente no Hard Fork, todos lutam por um bem comum, que é a melhoria das criptomoedas. E através dessas atualizações, acontece mudanças inovadoras dentro desse mercado, que de forma alguma devem ser ignoradas.

Como mencionado acima, quando há divergências, é certeza dizer que podem ser criadas novas criptomoedas.

Enquanto no Soft Fork, as atualizações acontecem e por algumas vezes podem passar despercebidas, porque não se muda tantas coisas, e acaba sendo uma atualização mais “pacífica” quando comparada ao Hard Fork.

CURIOSIDADE: ETHEREUM TAMBÉM SOFREU HARD FORK

O altcoin Ethereum também sofrer um Hard Fork em 2016, quando houve o hackeamento do The DAO – Organização Autônoma Descentralizada. O prejuízo ficou em cerca de US$ 4 milhões.

Após o ocorrido, o criador da Ethereum sugeriu um hard fork, com o propósito de arcar com o prejuízo de quem perdeu dinheiro.

E como era de se esperar, houve divergências nesse meio. E a partir daí nasceu o Ethereum Classic, que é da parte que não quis reverter o prejuízo, e o Ethereum, que fez totalmente o oposto: reverteu a situação e devolveu aos que ficaram no prejuízo.

Então, analisando esses fatos, as atualizações são necessárias realmente.

Se gostou desse assunto, comente e compartilhe com seus amigos. Aqui, nossa missão é agregar valor e conhecimento ao leitor, a fim de descomplicar o que parece complicado.

Até a próxima!!!!

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
Moedas Virtuais

Criptomoedas – o futuro do mercado FINANCEIRo

Next Post

Solana, o mais novo blockchain do mundo cripto.

Related Posts